Speedo Elite Team/Future Team

eventos

23/03/2012

AUSTRÁLIA

DETALHES DA EQUIPE OLÍMPICA AUSTRALIANA

Divulgação

Bandeira da Austrália

Autor • Redacao
Fonte • Best Swimming

 

A Seletiva Olímpica Australiana foi marcada pelo fracasso dos veteranos (Ian Thorpe, Michael Klim e Geoff Huegill) e pela presença de 13 jovens nadadores. No total, foram selecionados 44 atletas, 23 mulheres e 21 homens. Não haverá nenhuma outra seletiva ou troca dos atletas convocados. Este é o Time Londres 2012.

 

Dos 44 nadadores, 22 farão a sua primeira Olímpiada. Depois de 40 anos o time tem a volta de irmãos na Seleção Olímpica, aliás, irmãs, já que Cate e Bronte Campbell terminaram em primeiro e segundo lugar na prova dos 50 livre. Os australianos não tinha uma dupla de irmãos no time desde os Jogos Olímpicos de 1972 em Munique. Na época, Neil e Greg Rogers fizeram o time masculino e Karen e Nairelle Moras fizeram o time feminino.

 

A expectativa da Austrália é ganhar 15 medalhas em Londres. A previsão foi do próprio Head Coach Leigh Nugent. Isso vai ser em menor número comparados a última Olímpiada em Beijing 2008. Na época, foram 6 medalhas de ouro, 4 medalhas de prata e 8 medalhas de bronze, total recorde de 20 medalhas numa Olimpíada para a natação australiana.

 

Em número de medalhas de ouro, o maior número foi 8 medalhas douradas obtidas pela natação da Austrália nos Jogos Olímpicos de 1956 em Melbourne. O recorde negativo, zero em medalhas, fica com os Jogos Olímpicos de 1896  quando a Austrália não participou e em 1936 em Berlim onde cinco nadadores estiveram por lá mas saíram de mãos vazias.

 

Em Shanghai, no Mundial do ano passado os australianos levaram apenas duas medalhas de ouro, 8 de prata e 3 de bronze.

 

Se Thorpe, Klim e Huegill falharam, Libby Trickett conseguiiu entrar na equipe. Ficou de fora das provas individuais mas ganhou uma vaga no 4 x 100 livre. O time australiano é relativamente jovem. O nadador mais veterano do grupo é Brenton Rickard de 28 anos e a mais jovem, a velocista Yolane Kukla de 16 anos de idade.

 

O time tem a volta de três campeãs olímpicas de 2008: Leisel Jones nos 100 peito, indo para  a sua quarta Olimpíada, Libby Trickett que venceu os 100 borboleta e Stephani Rice, campeã dos 200 e 400 medley.

 

Michael Bohl é o treinador com maior número de atletas no time: 9.

 

Mesmo sendo tradicionalmente a segunda maior força da natação mundial, a Austrália vai para Londres com a expectativa de apenas duas medalhas de ouro. James Magnussen, líder do ranking mundial dos 100 livre há dois anos, e o 4 x 100 livre masculino são as únicas "reais" medalhas de ouro que os australianos estão a esperar.  

Comente agora!

Seu nome:

Quem já comentou...

Flávio comentou em 25/03/2012, 13:29:

Impressionante a clareza dos dirigentes australianos: com uma equipe fortíssima como essa, prevêm dois medalhas de ouro...sem ufanismos, com projetos, estrutura e um esporte que é paixão nacional...racionais. Tomara que conquistem mais, afinal Autrália é Austrália.

Flávio comentou em 25/03/2012, 13:29:

Impressionante a clareza dos dirigentes australianos: com uma equipe fortíssima como essa, prevêm dois medalhas de ouro...sem ufanismos, com projetos, estrutura e um esporte que é paixão nacional...racionais. Tomara que conquistem mais, afinal Autrália é Austrália.

Alexandre Madsen comentou em 25/03/2012, 16:41:

Coach,

Não é verdade que James Magnussen está há um ano na liderança do ranking nos 100 livre. Ele lidera desde o Mundial de Shanghai, em julho do ano passado. Em 2010, quem fechou em 1º foi Brent Hayden, com 47.98, e no Mundial quem chegou com o melhor tempo foi o desconhecido ítalo-alemão Marco Di Carli, com o tempo de 48.24. Ou seja, não faz nem 9 meses que o australiano lidera o grupo dos 100.